You are currently browsing the tag archive for the ‘revelador fotográfico’ tag.



Mais fórmulas para os alquimistas de plantão.

Agora da AGFA-ANSCO, em um libreto publicado em 1938.
Um pouco de história.
A Anthony & Scovill – ANSCO, empresa americana criada em 1902 com a fusão da E.&H.T. Anthony Co. e a Scovill &Adams, detinha a patente do filme fotográfico cujo processo de fabricação foi usado pela KODAK sem qualquer autorização. A ANSCO processou a KODAK e, por conta de um acordo mau feito, quase faliu. Isso só não aconteceu porque, em 1928 foi adquirida pela alemã AGFA, sendo criada a empresa AGFA-ANSCO. Com a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, o governo americano assumiu o controle da empresa que passou a operar sob o nome GAF. Suas atividades se encerraram no início dos 1990.

o

Anúncios

A fotografia alternativa não deve ser limitada somente pelo uso de processos históricos. Sempre existe espaço para experiências que combinem novos materiais com conhecimentos antigos, ou a conjugação das tecnologias dos séculos XIX, XX e XXI. O único pecado é não tentar.

Tenho ainda algumas folhas 4 x 5 pol de filme gráfico Kodalith 2556, com data de fabricação de 1998. Totalmente veladas e portanto inúteis para seu propósito original. Porém se pensarmos em Lumen print as coisas começam a mudar de figura. Se além do Lumen, juntarmos algo de quimigrama o resultado, apesar de imprevisível, pode surpreender.

Fotograma obtido após exposição direta à luz do sol por 3 horas. Banho fixador de 10 minutos com solução de hipossulfito a 10%. (Lumen Print) O galho foi embebido com um removedor a base de querosene para criar alguma reação com a química do filme. (Quimigrama)

Fotograma obtido após exposição direta à luz do sol por 3 horas. Banho fixador de 10 minutos com solução de hipossulfito a 10%. (Lumen Print)
O galho foi embebido com um removedor a base de querosene para criar alguma reação com a química do filme. (Quimigrama)

Até aqui: Fotograma – Século XIX; Lumen Print e Quimigrama – Século XX.

Inversão da imagem negativa com programa de edição de imagens.

Inversão da imagem negativa com programa de edição de imagens.

Programa de edição de imagens: Século XXI chegando para gerar a imagem final.

Imagens fotográficas alternativas podem e devem utilizar todas as ferramentas disponíveis.

Imagens fotográficas alternativas podem e devem utilizar todas as ferramentas disponíveis.

As  manchas brancas são o resultado da ação do removedor sobre a película do filme.
Quem se interessar por uma cópia vou fazer uma edição de 20 imagens, 25×30 cm, em papel algodão.

 

 

 

Abaixo, mais algumas fórmulas AGFA.

Por conta da evolução dos filmes e papeis fotográficos, os tempos de revelação indicados devem ser considerados somente como referência.

NUNCA É DEMAIS LEMBRAR: 

TODO O PROCEDIMENTO QUE ENVOLVA A MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS DEVE SER REALIZADO COM AS PRECAUÇÕES CABÍVEIS. CASO VOCÊ NÃO SAIBA COMO, OU NÃO SE SINTA SEGURO PARA FAZER, NÃO ARRISQUE.

SEMPRE ADICIONE OS COMPOSTOS NA ORDEM DADA E QUANDO O ANTERIOR ESTIVER TOTALMENTE DISSOLVIDO.

 

AGFA 20

Revelador metol-hidroquinona. Especifico para filmes diapositivos preto e branco.

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                       2g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 25g

Hidroquinona                                                                      4g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      18,5g

Brometo de potássio                                                        2g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação: 3 a 4 minutos (18ºC).

 

AGFA 22

Revelador metol-hidroquinona para filmes diapositivos preto e branco de alto contraste.

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                     0,8g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 60g

Hidroquinona                                                                      8g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      50g

Brometo de potássio                                                        5g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação: 5 a 8 minutos (18ºC).

AGFA 30

Revelador para filmes de raio-x

(Qualquer filme ou chapa para raio-x pode ser utilizado para fotografia comum, feitos, naturalmente, os ajustes necessários para a correta exposição à luz normal.)

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                       3,5g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 60g

Hidroquinona                                                                      9g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      40g

Brometo de potássio                                                        2g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação: 6 a 8 minutos (18ºC).

 

AGFA 40

Revelador metol-hidroquinona para filmes em geral.

 

Água (52ºC)                                                                         900ml

Metol                                                                                     4,5g

Sulfito de sódio (anidro)                                                54g

Hidroquinona                                                                     7,5g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      54g

Brometo de potássio                                                        3g

Água até completar o volume de um litro

Pode ser diluido na proporção de 1:2 ( uma parte de revelador para duas de água). Tempo de revelação: 4 a 5 minutos (18ºC).

Um dia qualquer desses vai aparecer uma notícia pequena, informando o encerramento das atividades do último fornecedor de produtos químicos para fotografia tradicional. Então, na esteira do post anterior, seguem algumas fórmulas de reveladores Agfa que constam no “Agfa Formulas for Photographic Use”, publicado, em 1938, pela Agfa Ansco Corporation. Quem sabe, um dia podem ser úteis.

Por conta da evolução dos filmes e papeis fotográficos, os tempos de revelação indicados devem ser considerados somente como referência.

NUNCA É DEMAIS LEMBRAR: 

TODO O PROCEDIMENTO QUE ENVOLVA A MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS DEVE SER REALIZADO COM AS PRECAUÇÕES CABÍVEIS. CASO VOCÊ NÃO SAIBA COMO, OU NÃO SE SINTA SEGURO PARA FAZER, NÃO ARRISQUE.

SEMPRE ADICIONE OS COMPOSTOS NA ORDEM DADA E QUANDO O ANTERIOR ESTIVER TOTALMENTE DISSOLVIDO.

AGFA 12

Revelador de grão fino para uso em tanques de revelação

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                       8g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 125g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      5,75g

Brometo de potássio                                                        2,5g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação: 8 a 12 minutos (18ºC).

AGFA 15

Revelador de grão fino para uso em bandejas

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                       8g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 125g

Carbonato de sódio (monohidratado)                      14g

Brometo de potássio                                                        1,5g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação para contraste normal: 3 a 5 minutos (18ºC). Para maior contraste: 6 a 10 minutos.

AGFA 17

Revelador de grão fino com bórax para uso em tanques de revelação

Água (52ºC)                                                                         750ml

Metol                                                                                       1,5g

Sulfito de sódio (anidro)                                                 80g

Hidroquinona                                                                      3g

Bórax                                                                                       3g

Brometo de potássio                                                       0,5g

Água até completar o volume de um litro

Usar sem diluir. Tempo de revelação: 10 a 15 minutos (18ºC).

As fórmulas ora postadas também se encontram na página Fórmulas.

Para os alquimistas sobreviventes e seus poucos aprendizes.

As fórmulas para fazer reveladores fotográficos, para materiais preto e branco, não variam tanto assim nos seus componentes.

As diferenças entre cada uma ficam por conta das quantidades de cada componente , grau de diluição da solução de trabalho e dos tempos de revelação, mas existe, ainda, uma outra diferença que é fundamental para diferenciar cada revelador: A logomarca  que vai estampada na embalagem que implica, ou na existência de algum ingrediente exclusivo, ou (na verdade) na confiança que transmite quanto ao controle de qualidade na fabricação do mesmo.

Deixando de lado o aspecto mercadológico, principalmente porque os reveladores comerciais estão cada vez mais raros, é interessante saber a função de cada um dos seus componentes para, se um dia quiser, fazer sua própria fórmula exclusiva sabendo o que está fazendo.

Ao primeiro grupo de compostos podemos dar o nome de agentes de revelação. São compostos redutores orgânicos, isto é com uma grande “fome” por oxigênio e cuja reação com os haletos de prata contidos na emulsão os converte em prata metálica formando assim a imagem.

São vários os compostos que atuam como agentes de revelação. Abaixo seguem os três principais.

Metol (sulfato de N-Metil-p-aminofenol). Altamente solúvel na água começou a ser utilizado como agente revelador em 1891.  Isoladamente o metol é um revelador de baixo contraste, porém quando combinado com hidroquinona sua ação é potencializada. Essa combinação, ( metol-hidroquinona), produz um contraste bem mais acentuado  e é a mais utilizada para a formulação de reveladores fotográficos p&b, tanto para filme, quanto para papel. Também é conhecido por outras denominações comerciais:  Elon, Rhodol, Enel, Viterol, Scalol, Genol,

Hidroquinona (p-Dihidroxibenzeno). Descoberta em 1880. Solúvel em água morna. Em soluções altamente alcalinas produz reveladores de alta velocidade e contraste. Quando associada ao metol ou a fenidona, cria praticamente um revelador universal para qualquer material fotográfico p&b.

Fenidona (1-fenil-3-pirazolidona). Em uso como agente de revelação desde 1940. Moderadamente solúvel em água quente se dissolve bem em soluções alcalinas. Associada à hidroquinona produz um revelador multiuso para materiais p&b com boa capacidade de conservação.

Além dos acima descritos existem outros agente de revelação. Cada um com suas características, aplicações e “defensores” próprios.

Ácido ascórbico (vitamina C), amidol, paraminofenol, pirocatequina, pirogalol, glicina, p-fenilenodiamina,adurol, ortol, oxalato férrico, etc., etc..

No segundo grupo estão os compostos utilizados para a preservação retardando a oxidação dos agentes de revelação utilizados em uma determinada formulação. O composto mais usado para essa finalidade e, apesar da tendência em criar um véu sobre a imagem, é o sulfito de sódio. Também podem ser usados o bissulfito de sódio, os metabissulfitos de sódio ou potássio. A quantidade de sulfito deve ser mantida em nível mínimo, somente para retardamento da oxidação do agente revelador.

Os aceleradores constituem o terceiro grupo de compostos. Sua função é fornecer um meio alcalino que permita a ativação dos agentes de revelação. O grau de alcalinidade do revelador afeta diretamente a velocidade da revelação e a formação de véu. O mais comum dos aceleradores é o carbonato de sódio com ph em torno de 11,5 quando diluído a 5% assim como o carbonato de potássio. Outro acelerador usado é o hidróxido de sódio ( soda caustica), com ph em torno de 14 quando diluído a 4%.  O  uso do hidróxido de sódio na formulação de um revelador  indica muito potente  e de ação rápida ( Parodinal). Em algumas fórmulas a alcalinidade é fornecida pelo próprio sulfito de sódio usado como preservante.

Finalmente o último grupo de compostos são aqueles que  tornam a revelação um pouco mais lenta, para que seja uniforme  ao mesmo tempo que previnem a formação de véu sobre o material fotográfico. Nesse grupo, o brometo de potássio é praticamente uma unanimidade podendo, no entanto ser substituído pelo brometo de sódio, com os mesmos efeitos. Além do brometo de potássio, algumas fórmulas usam o cloreto de sódio ( sal de cozinha) ou o cloreto de amônia para os mesmos fins.

Existem dezenas de fórmulas para reveladores fotográficos. Cada uma com suas características próprias e algumas ( não poucas) não são nada mais do que pequenas variações para atender uma determinada condição, efeito desejado (tipo de papel, tonalidade, velocidade de revelação, acutância, etc.), ou então a vaidade pessoal do fotógrafo em ter seu nome associado à uma fórmula.

O importante não é a fórmula em si ou a preparação do revelador, isso qualquer um que saiba ler, faz. O que importa é saber o porque de cada componente e sua ação final sobre a solução.


Arquivos

Anúncios