You are currently browsing the tag archive for the ‘fixação de imagem’ tag.

Depois de muito tempo trancado em uma gaveta, finalmente saiu. Manual de Cianotipia e Papel Salgado, em português. Pré-vendas, aqui.

Anúncios

Fotografia alternativa não é só fazer um daguerreótipo ou uma impressão usando goma. A palavra “alternativa” carrega o micróbio da curiosidade para saber se alguma coisa, fora do padrão estabelecido, pode funcionar.
Quando fiz a postagem “Testando… 1… 2… 3… “  disse que se a “fórmula secreta” funcionasse iria aparecer aqui. Então, lá vai.

Da Goma dicromatada, peguei o dicromato , mas substituí a goma por cola PVA misturada com água. Do papel salgado peguei o nitrato de prata e o fixador, mas o fixador foi diluído em água. Ou seja, tudo para não dar certo. Porém…

dscf0146

Quando imaginei juntar o nitrato de prata com o dicromato de amônia para obter cromato ou dicromato (?) de prata, perguntei a um químico como seria a equação dessa mistura e ele me disse que não seria nada pois os dois compostos não reagiriam um com o outro, e me deu toda a explicação do porquê. Explicação entendida e pronto não vai funcionar. Mas como nos primeiros testes alguma imagem se formou, então…

dscf0143

Após vários ajustes a fómula final é a seguinte:

Cola PVA: meia colher de sopa diluída em 40ml de água

Nitrato de prata: 15 ml a 10%

Dicromato de amônia: 2 ml  (foi usado o dicromato comercial para serigrafia)
Uma vez misturados os componentes acima formam uma solução não muito homogênea com muita coisa em suspensão que deve ser agitada antes de ser aplicada sobre o papel.

dscf0140

Os tempos de exposição são relativamente longos, mesmo com índices extremos de UV.

Tempos de exposição: Da esquerda para a direita. 15, 20, 25 e 30 minutos

Tempos de exposição: Da esquerda para a direita. 15, 20, 25 e 30 minutos.

A fixação foi feita em um banho de água mais fixador (50%:50%). Isso foi feito por conta de que nos primeiros testes, a forma tradicional de “revelação” do processo de goma não surtiu qualquer efeito sobre a cola PVA. Com a adição do fixador no banho foi notado que ao mesmo tempo que se fixava a imagem a mancha do dicromato simplesmente sumia sem deixar qualquer vestígio no líquido. Depois de cinco minutos nessa solução fixadora, outro banho de 10 minutos em água.

Outros dados: Exposição feita a céu aberto, sem nuvens. Índice UV: extremo. Negativo de papel encerado. Papel de suporte: Verge 180g ( manuseado com grande cuidado depois de encharcado.)

Apesar de ter consegui do uma imagem bem formada e estável, resta uma pergunta para a qual não tenho qualquer resposta, ainda: Se o nitrato e o dicromato não reagem entre si, o que acontece para que se consiga essas imagens? Alguma reação com o PVA? UV?. Quem conseguir uma explicação, por favor me avise.

 

A publicação anterior teve como título “Erros“, portanto nada mais justo que mostrar alguma coisa com os acertos.
Os dados de execução são os seguintes:

Suporte

Papel Canson Aquarela 300g. Salga do papel: 2g de sal para 30ml de água, mais 2g de gelatina, aplicado com uma trincha nova. Sensibilização: solução de nitrato de prata a 10%, aplicado com outra trincha, também nova.

Exposição

A partir de um negativo de papel encerado, 15 minutos a céu aberto com luz do sol direta. Índice UV, alto

“Revelação”

Lavagem inicial por 10 minutos com 4 trocas de água. Fixação por 4 minutos em solução de 20% de tiossulfato de sódio ( hipossulfito). Lavagem final por 15 minutos em água corrente. Secagem ambiente.

DSCF7076-001

 

Hora de deixar um pouco de lado o azul das cianotipias para dar um pouco mais de atenção aos castanhos das impressões feitas pelo processo do papel salgado.

“SENTINELA”
Papel Canson Aquarela 300g

Preparo do papel: solução salina (NaCl) a 2%, mais 2g de gelatina para cada 30ml de água.

Aplicação sobre o papel: pincel              Tempo de secagem: 12 horas

Solução de AgNO3: 10%       Tempo de exposição: 15 minutos          Índice UV: 5 (moderado)

Lavagem inicial: 5 minutos em água

Fixação: Tiossulfato de sódio (hipossulfito) a 20% por  6 minutos

Lavagem final: 10 minutos em água.

DSCF6872

Depois de muito papel jogado fora, falta de fixador e problemas com pesos e medidas, finalmente saiu!

DSCF6868

Agora, algumas observações:
1) Não tem balança para pesar o cloreto de sódio?

_Na próxima vez que for a um buffet a kilo encha os bolsos com aqueles sachês de sal, um grama cada um.

2) Quanto de gelatina?

_Uma colher de café, rasa, para cada 30 ml de água

3) Apesar de quase toda literatura indicar que a solução de nitrato de prata deve ser a 12%, pode usar a 10%. Menos do que isso não funciona.

4) Por último. Uma informação que normalmente não é divulgada com frequência.

_ É possível fazer uma viragem, limitada, sem a utilização de qualquer banho químico bastando somente um ferro de passar roupa. Segundo o que informa James Reilly, no seu livro The Albumen & Salted Paper Book: The history and practice of photographic printing, 1840-1895, o próprio Talbot fazia isso em sua cópias. (Vai estudar, animal!) A temperatura deve ser fixada no máximo e o andamento da viragem checado visualmente.

 

À esquerda a impressão antes da aplicação do calor.

                              À esquerda a impressão antes da aplicação do calor.