O termo “Fotografia Alternativa” é na verdade um grande guarda-chuva.

Tanto serve para identificar os processos praticados nos primeiros tempos da fotografia, praticados com o uso intenso da química e e que fazem parte da evolução histórica da fotografia, quanto a outros processos que se valem da junção de várias técnicas ( fotoquímicas e fotoelétricas), e também, em outro extremo, os processos experimentais puramente elétricos.

O que tudo isso tem em comum para ser classificado como “alternativo?

A resposta, apesar de muita gente torcer o nariz, é simples: Efetiva aplicação comercial. (O Daguerreótipo produz uma imagem fantástica, mas é caro e não pode ser reproduzido. Foi abandonado pelas cópias em papel salgado, que foram deixadas de lado pelo papel albuminado, que foi largado pelo papel de gelatina de prata, que cedeu seu lugar para as impressões com jato de tinta. No meio desse caminho surgiram outros experimentos mais ou menos bem sucedidos, porém sem aplicação comercial palpável: cianotipia, goma dicromatada,  marrom Van Dyke, platinotipia, etc.. A cada mudança o processo substituído era simplesmente relegado ao esquecimento e a experiência exótica, somente mera curiosidade.)

Então, aproveitando que o sol fugiu e pelo jeito, vai demorar a voltar, me parece uma boa oportunidade para explorar um pouco o que fazer com um scanner – Mais uma alternativa para “Alternativa”.

 

Penas de Ganso. Scanner da impressora HP 1516. 600dpi. Ajustes prévios de brilho e contraste. Pós: Pequeno aumento na nitidez, dessaturação leve

Penas de Ganso. Scanner da impressora HP 1516.
600dpi. Ajustes prévios de brilho e contraste. Pós: Pequeno aumento na nitidez, dessaturação leve

 

Com certeza não é o processo fotográfico tradicionalmente aceito como tal ( seja digital ou analógico). Porém, como tenho  φως  e γραφις , luz e escrita, tenho, portanto, fotografia.

Scanner da impressora HP 1516. 1200dpi. Ajustes prévios de brilho e contraste. Pós: Pequeno aumento na nitidez, escala de cinza

Scanner da impressora HP 1516.
1200dpi. Ajustes prévios de brilho e contraste. Pós: Pequeno aumento na nitidez, escala de cinza

 

Vale lembrar: Quanto maior a quantidade de dpi’s maior será o arquivo final e mais demorado será o processo de escaneamento.