Muitos autores recomendam o uso de pincéis do tipo hake para efetuar a sensibilização dos papéis que se usam nos processos alternativos de impressão fotográfica, porém esses têm um custo bastante alto com quase nenhum benefício efetivo na tarefa. Alguns pincéis hake podem chegar a custar mais de R$ 150,00, contra a média de oito e poucos reais dos pincéis comuns que podem ser comprados em qualquer loja de ferragens de bairro.
O ponto levantado por tais autores é de que os pincéis comuns, com suas virolas metálicas, podem afetar a qualidade das impressões. Isso é verdade, mas somente depois de um bom tempo de uso e se não for feita uma boa limpeza após cada sessão.
Como uma das intenções deste blog é, além de mostrar como usar os processos alternativos de impressão fotográfica, é tentar fazer isso da forma mais simples e direta possível, segue abaixo o que acontece quando um pincel comum ( com virola de metal) atinge o seu limite de uso.

 

Trincha após um ano de uso com cianotipias e papel salgado. Vida útil para os processos alternativos já esgotada.

Trincha após um ano de uso com cianotipias e papel salgado. Vida útil para os processos alternativos já esgotada.

Impressão em papel salgado onde foi usada a trincha da imagem anterior. Além de faixas mais escuras como se a imagem estivesse encardida, uma mancha grande, do metal oxidado da virola, aparece também.

Impressão em papel salgado onde foi usada a trincha da imagem anterior. Além de faixas mais escuras como se a imagem estivesse encardida, uma mancha grande, do metal oxidado da virola, aparece também.

Detalhe da "ferrugem".

Detalhe da “ferrugem”.