No Brasil, encontrar papel fotográfico e os químicos para fotografia tradicional é cada vez mais complicado. No exterior algumas empresas ainda aproveitam esse nicho, mas para um público cada vez mais restrito.
A saída para quem ainda quer experimentar o trabalho no “quarto escuro” é importar ($$$$$) ou fazer seus próprios materiais… as informações para isso estão na web, é só ter paciência para garimpar.

Apesar de quase totalmente digital, alguns ainda experimentam o cheiro do interruptor feito com ácido acético e a sensação ensaboada do hipossulfito nos dedos.

Vale a pena uma checada no site http://www.theonlinedarkroom.com/