You are currently browsing the monthly archive for janeiro 2014.

“E se…?” É a pergunta que nunca pode deixar de ser feita.

E se, além do chimarrão, a erva mate fosse usada para virar uma cianotipia?…Tem tanino… Mancha que é uma beleza…

O máximo que pode acontecer é não funcionar ou então, ser mais uma viragem para tons castanhos como as feitas com chá ou café.

Abaixo a cianotipia original usada para o teste.

DSCF9045

O mesmo rebaixamento feito com carbonato de sódio para a viragem com café, descrito no post anterior, foi aplicado.

O banho de viragem foi feito com 4 colheres de sopa de erva mate previamente usada para um chimarrão, retiradas diretamente da cuia, sobre a qual foi despejado meio litro de água quente. Depois de 20 minutos a mistura foi coada e o resultado foi um líquido verde musgo com muitas partículas, finas como pó, em suspensão.

Usado sem qualquer diluição e com agitação constante, após seis minutos rendeu esse resultado.

DSCF9046

ATENÇÃO 1: POR CONTA DO PARTICULADO FINO A AGITAÇÃO DEVE SER CONSTANTE PARA EVITAR O ENTRANHAMENTO NAS FIBRAS DO PAPEL.

ATENÇÃO 2: SE DEIXADO POR MUITO TEMPO NO BANHO, O PAPEL SE TINGIRÁ DE VERDE AMARELADO.

A cianotipia, além de ser o mais simples dos processos alternativos de impressão, é também o que mais se presta para a aplicação de viragens. Das mais elaboradas até as que podem ser feitas com o café que não foi bebido depois do almoço.

Primeiramente, é óbvio, temos que fazer uma cianotipia tradicional. Levemente superexposta para não ficar muito “lavada” caso o banho de rebaixamento seja prolongado.

DSCF9035-001

O segundo passo é rebaixar a imagem para que se perca a intensidade do azul. O quanto, vai depender exclusivamente de você. Mais tempo no banho, menos intenso será o azul, podendo inclusive desaparecer completamente se a impressão for esquecida por algumas horas.

O banho é simples. Algumas gramas de carbonato de sódio dissolvido em água. Quanto mais carbonato for usado, mais rápido e mais intenso será o rebaixamento. Minha sugestão é que se use pouco carbonato para que se possa ter um maior controle da reação.

O terceiro passo é o banho com café. Pode ser puro ou diluído. Rápido ou prolongado. Novamente o controle é seu.

Para obter a imagem abaixo foram 90 segundos no banho de carbonato. ( Com agitação constante) e depois, 20 minutos em café diluído em água, aproximadamente 300 ml de café para 4 litros de água.

Nunca é demais relembrar: NÃO EXISTEM TEMPOS EXATOS PARA A OBTENÇÃO DESSE OU DAQUELE RESULTADO. O CONTROLE É ABSOLUTAMENTE VISUAL.

DSCF9038-002

Revirando uma gaveta na casa de seu avô você encontra uma câmera fotográfica velha, mas aparentemente em bom estado.

Mecânica, com fole, sem fotometro, médio formato, um pouco emperrada.

Você mexe aqui e ali. A lente está empoeirada, mas por milagre não tem fungos… cheia de números gravados.

O nome… estranhíssimo… ZENOBIA.

Então você pensa: “Vou tirar uma chinfra!”  Mas como você só tem 20 anos, não faz a menor idéia de como fazer… Ok, a menor idéia, você faz… mas precisa de um pouco mais… Cadê o manual?…

Tá aqui!

http://www.butkus.org/chinon/

zenobi6

Para os que estão a procura de bons papeis para fazer suas impressões usando qualquer processo histórico uma boa opção é o Canson Aquarela. Com gramatura de 300g/m2 e possuindo características semelhantes ao Canson Montval, suporta bem o manuseio intenso que alguns processos exigem, além de ter um custo bem menor que o Montval.

O único cuidado que se deve ter é no caso das cianotipias. Esse papel tem reserva alcalina e não deve ser usado sem um preparo prévio para neutralizar essa reserva. Uma banho de cinco minutos em água acidulada a 5% com ácido acético é o quanto basta. Na falta do ácido acético, 4 colheres de sopa de vinagre branco em um litro de água servem como substituto. Depois é só deixar secar ao ambiente.

Por enquanto só encontrei esse papel em blocos A3 e A4, ambos com 12 folhas.

 

DSCF8767

Esse é do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, em Zurich.

A Popular Treatise on the Art of Photography, de Robert Hunt, publicado em 1841.

http://www.e-rara.ch/zut/content/titleinfo/34314

34322