Jean-Baptiste Gustave Le Gray, 1849

Jean-Baptiste Gustave Le Gray (1820-1884). Com certeza um dos mais importantes fotógrafos franceses do século XIX, não só por seus trabalhos, mas também por suas pesquisas.

Inicialmente pintor que, com o surgimento da daguerreotipia, lançou-se em uma não tão bem comercialmente sucedida carreira de fotógrafo. Apesar de seu talento artístico e de ser o fotógrafo oficial de Napoleão III, a má administração de seu negócio e finanças obrigou-o a deixar a França para escapar dos credores.

Artilharia leve. Foto feita no Egito, onde Le Gray morreu em 1884.

Uma das mais conhecidas imagens de Garibaldi. Feita durante combates na cidade de Palermo.

Como praticamente todos os fotógrafos de sua época, (estamos falando da infância da fotografia), Le Gray também foi um pesquisador.

Na época, os negativos produzidos pelo processo da calotipia, eram de papel e por conta de sua opacidade, produziam imagens com pouco detalhamento. Le Gray criou o negativo feito com papel encerado que, tornado menos opaco, com a aplicação de cera de abelha, antes da sensibilização, produzia negativos de melhor qualidade.

Outra técnica desenvolvida foi a utilização de dois negativos combinados. Um exposto para as áreas de sombra, e outro para as altas luzes. Com os equipamentos da época, caso a exposição fosse feita para as áreas de sombra, as partes da imagem mais iluminadas produziriam branco puro e, vice-versa, caso a exposição fosse para as altas luzes, as áreas de sombra produziram o preto sem qualquer detalhe.

As imagens produzidas por Le Gray, utilizando essa técnica, são a base para idéia de se ter representadas todas as nuances possíveis de luz incidente sobre a cena. Podemos dizer que ao fazer essas imagens, Le Gray se projetou no futuro em cada fotografia feita com HDR.

Brigue ao luar

Estudo. Nuvens