O fotograma  se confunde com o início da fotografia. Os primeiros desenhos fotogênicos feitos por Talbot nada mais eram do que fotogramas  de objetos e plantas colocados sobre uma folha papel sensibilizada com cloreto de sódio e nitrato de prata ( papel salgado).

 

 

 

Ainda, para a execução do que pode ser considerado com o primeiro livro de fotografias, a inglesa Anna Atkins produziu inúmeros fotogramas, em cianotipias, de algas existentes no litoral da Inglaterra.

Desde o surgimento da fotografia, o fotograma, por ser a mais simples forma de impressão e apesar de ser considerado por muitos um desperdício de papel e química, não deve ser encarado como uma brincadeira. Para sua execução, as imagens e os efeitos de luz têm que ser realmente concebidos e visualizados na mente do fotógrafo sem qualquer outro auxílio além de seu conhecimento e imaginação.

Muitos fotógrafos deixaram trabalhos realizados com fotogramas sendo que podemos considerar como exemplos clássicos os de László Moholy-Nagy e os de Man Ray. ( Este último batizou seu trabalhos de Rayograms.)

Fotogramas de László Moholy-Nagy

 

Fotogramas/ Rayogramas, Man Ray, circa 1925

Para quem quiser conhecer um pouco mais, visite o site http://www.photogram.org . Lá se encontra muita informação além de galerias com os trabalhos de fotógrafos e artístas que usam o fotograma como forma de expressão.