Para quem estuda e pratica os processos fotográficos históricos ou alternativos é, na maioria da vezes, frustrante perceber que as informações que existem nos sites e blogs, que se dedicam ao assunto, não é completa. Não que isso seja culpa exclusiva dos autores, mas sim por causa da falta de  informações mais precisas que foram se perdendo  ao longo do tempo por conta do abandono desses conhecimentos, trocados por técnicas mais modernas.

(Cabe aqui reforçar o que já foi dito várias vezes neste blog: Não sou contra os avanços técnicos, nem saudosista. Só acredito que todas as técnicas e processos, sejam do séculos XIX, XX e XXI, podem e devem conviver para ajudar a entender cada vez mais o que é fotografia.) 

Voltando ao tema

Existem livros digitalizados, que foram publicados na mesma época na qual esses processos do início da fotografia eram o que se tinha de mais moderno. Vale a pena consultá-los e o único alerta que tem que ser feito é por conta da atenção que se deve ter para adequar a linguagem, sistemas de pesos e medidas e nomenclatura química aos dias de hoje.

De resto, é só pesquisar, muito.

Boa sorte!

The Silver Sunbeam - Publicação de 1864. 38 anos após a primeira imagem permanente feita por Niepce, e 24 anos antes da primeira câmera Kodak.