Pesquisador e desenhista francês (1804-1879). Pioneiro da fotografia no Brasil, é considerado um de seus inventores. Filho de um cirurgião do Exército real francês, Antoine Hercules Romuald Florence nasceu em Nice. Em 1824 chega ao Rio de Janeiro, onde se emprega como caixeiro em uma loja de roupas e, mais tarde, numa tipografia e livraria.

Em 1825, em resposta a um anúncio, junta-se à expedição do naturalista russo Georg Heinrich von Langsdorf, como desenhista, e nos quatro anos seguintes atravessa São Paulo, Mato Grosso e Pará, somente retornando ao Rio de janeiro em 1829. Em seguida vai para Itú, no interior de São Paulo, e depois para a Vila de São Carlos, atual Campinas, onde inicia suas pesquisas e descobertas. Estuda os sons dos animais e, paralelamente, uma nova forma de impressão.

Trabalhando sem conhecimento do que se desenvolvia na Europa, Florence, em 1832, consegue as primeiras impressões já utilizando o nitrato de prata e o princípio do negativo/positivo. Enquanto isso, na Europa, o daguerreotipo seguia sendo o único método fotográfico aplicado até que em 1839, o inglês William Fox-Talbot divulga o processo da calotipia, que é o mesmo processo desenvolvido por Florence.

Pelo fato de estar trabalhando no interior de um Brasil recém independente, sem qualquer tradição científica e longe do centros europeus de cultura, a primazia de Hercules Florence nunca foi devidamente reconhecida.

( Uma observação: Alguns ufanistas de plantão (poucos, ainda bem), atribuem a invenção da fotografia ao Brasil. Hercules Florence era francês e estava no Brasil e somente isso. A prevalecer esse entendimento, invenção do avião deve ser atribuída à França uma vez que Santos Dumont e o 14-Bis estavam na França.)